Morre o cantor e compositor João Gilberto, o ‘gênio da bossa nova’

Um dos pais da bossa nova, o baiano radicado no Rio tinha 88 anos

Morreu hoje no Rio de Janeiro, aos 88 anos, o cantor e compositor João Gilberto, considerado um dos pais da bossa nova.

Segundo amigos da família, João Gilberto passava por um exame, que teve complicações. Os advogados da filha Bebel Gilberto, que trava uma disputa com o irmão João Marcelo, estão a caminho da casa do cantor. O corpo deve passar por uma autópsia.

O estado do cantor se agravou nos últimos meses — desde a perda da amiga e ex-mulher Miúcha, também cantora, que morreu em dezembro do ano passado.

A família confirmou a amigos a morte.

João Gilberto Prado Pereira de Oliveira, nascido em Juazeiro, Bahia, em 1931, revolucionou a música brasileira. Contribuiu decisivamente para tornar a bossa nova um estilo musical reconhecido em todo o mundo.

Era um gênio lembrado também pelo temperamento difícil, que tinha como exemplo mais contundente sua preferência pelo isolamento em seu apartamento na zona sul do Rio.

Nos últimos anos, a vida de João Gilberto passou a ser relacionada a problemas financeiros, desavenças familiares e questões relacionadas a direitos autorais de sua obra.

Uma sequência de problemas que abalaram o artista, cada vez mais distante de todos, e com saúde cada vez mais frágil.

O que permanecerá, no entanto, é seu legado musical. Com “Chega de Saudade”, disco lançado no fim da década de 50, ele deu o tom da bossa nova e abriu espaço para a geração de Caetano Veloso, Gilberto Gil e Chico Buarque.