Karina Bacchi sobre separação: “Com certeza abri mão pela maternidade”

A artista ainda revelou o desejo de ter mais um filho, porém afirma não ter planos concretos no momento.

Karina Bacchi abriu o jogo e contou mais detalhes sobre a sua vida amorosa, até antes de ser casada com o ex-jogador de futebol Amaury Nunes. A artista foi casada com o publicitário Sérgio Amon durante quase sete anos (juntos pelo dobro de tempo) e se separaram pela vontade de ter  filhos.

“Eu sempre quis [engravidar] e nunca falei, porque queria preservar meu interior”, contou em papo com Daniela Albuquerque. “Estava há 15 anos com uma pessoa que não tinha vontade de ter mais filhos, era um assunto que debatíamos muito e não havia meios de convencê-lo a mudar de opinião. Não estava vendo uma luz no fim do túnel e não queria falar publicamente. Ele sempre foi muito discreto, então era uma forma de mantermos o relacionamento. Até que chegou um momento que isso falou mais alto e foi aos 40 anos”, explica ela.

Karina Bacchi e Daniela Albuquerque (Foto: Divulgação RedeTV!)

“Com certeza abri mão pela maternidade”, continuou. “E também porque, durante os anos, o relacionamento foi desgastando, não via mais futuro. Foi quando optei pela separação e pela produção independente. Não iria sair correndo, perguntando: ‘Quem quer ser pai?’, seria injusto comigo e com meu próprio filho”, comenta.

Em 2017, Karina fez uma fertilização in vitro nos Estados Unidos e hoje é mãe do pequeno Enrico, de 1 ano e 10 meses. “Estava tão feliz que não senti falta de um companheiro”, afirmou sobre a decisão de ser mãe completamente sozinha.

Sobre Amaury, a artista relembrou como conheceu o novo amor, apenas 20 dias após o nascimento de Enrico ainda em Miami, nos Estados Unidos, onde deu à luz: “O conhecia só por redes sociais. Ele tentou me encontrar pessoalmente antes de eu engravidar, durante a gravidez, e acabou sendo possível só quando o Enrico nasceu. Ele fez uma visita e aí foi um processo gradual, mas acho que já de cara foi um encontro de almas, uma sensação de cumplicidade”.