Irmão do suspeito de matar ator xinga Luiz Bacci, que cancela entrevista

Irmão do suspeito de matar ator Rafael Miguel, no dia 9 deste mês, Joel Cupertino perdeu as estribeiras e xingou o apresentador Luiz Bacci durante participação no programa “Cidade Alerta”, da Record, ontem à tarde (14)

“Ô, Bacci, vocês dizem que eu sou ruim, mas você é o maior pilantra, porque você está querendo distorcer o ‘bagulho’. E quer saber de uma coisa? Vai se fod*r”, respondeu o homem, nervoso. “Tira do ar”, devolveu, Bacci.

Em entrevista no dia do enterro da família, Joel, irmão do homem que cometeu os crimes, deu uma entrevista ao programa Cidade Alerta, da Record. Quem conduziu a reportagem foi Lilliany Nascimento. Nela, Joel tenta justificar a atitude do irmão e defendê-lo culpabilizando as vítimas.

“A família de Rafael estava envolvida com uma rede de pedofilia” e que queria “corromper a menina, prometendo que ela ia ser artista de televisão”. As acusações, até o momento, não foram comprovadas pela polícia. O homem ainda falou o seguinte para a repórter: “[Rafael, Miriam e João] estavam usando o amor como desculpa. Morreram tarde demais esses daí”.

Bacci e ele já haviam discutido anteriormente, mas não estavam no ar.

Entenda o caso:

Conhecido por interpretar o personagem Paçoca, na novela “Chiquititas”, exibida pelo SBT, o ator Rafael Miguel, de 22 anos, foi assassinado a tiros na tarde deste domingo (9), em São Paulo. O principal suspeito do crime é o pai da namorada do ator, Isabela Tibcherani, de 18 anos. Os pais do ator, João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50, que estavam junto com ele, também foram mortos pelo atirador, que fugiu logo após cometer o crime.

De acordo com as primeiras informações, logo após o horário do almoço, os três haviam ido até a casa da namorada de Rafael, situada na Estrada do Alvarenga, no bairro da Pedreira, na zona sul da capital paulista, discutir sobre o relacionamento deles. Eles foram recepcionados pela mãe da garota. Segundo a Polícia, enquanto conversavam, o pai da jovem, identificado como Paulo Curpertino Matias, de 48 anos, apareceu na residência armado e abriu fogo contra as vítimas, que morreram no local.