Características do Homem e Mulher que amam demais

Este artigo é sobre o Homem e Mulher que amam demais, as suas características e sinais, a forma como se sentem e como agem.

O seu relacionamento é sempre tortuoso? Porque atraio estas pessoas?

Saiba que somos mesmo nós que atraímos estas pessoas.

Porquê?

Porque o vazio interno é tão grande, que o preenchemos com o outro. Mas o positivo é que conseguimos intervir e melhorar rapidamente através de psicoterapia sociodramática.

Características/Sinais a estar atentos no Homem e Mulher que amam demais

  1. Quando AMAR é sinónimo de sofrimento de dor;
  2. Que ama mais o outro que a si próprio, vive em função do outro;
  3. Gasta a energia a tentar mudar o comportamento do outro;
  4. Envia Sms em excesso ao parceiro;
  5. Tem Ciúme excessivo; Muitas vezes o ciúme é confundido com amor. São coisas distintas, o ciúme exagerado é  o amor levado ao limite. É quando a emoção AMOR, se torna patológica.
  6. Obcecado pelo parceiro, sufocam, não confiam, e estão permanentemente a controlar. Verificam bolsos, telemóvel, email, quilómetros do carro, faturas de telefone e até movimentos do cartão de crédito, sempre na expectativa de encontrar uma prova;
  7. Estar sempre a querer mudar o outro à sua imagem;
  8. Oriundos de um Lar disfuncional, em que as suas necessidades emocionais não foram satisfeitas;
  9. Não se aceita, o seu aspecto físico e características;
  10. Os seus relacionamentos são sempre destrutivos; Esta constantemente em relações caóticas, instáveis dolorosas do ponto de vista emocional;
  11. Não se valoriza nos relacionamentos, precisa ser sempre validado/reconhecido pelo outro;
  12. Numa relação destrutiva, não é capaz de sair da relação sem depressão;
  13. Utiliza o sexo frequentemente como manipulador ou mudar o parceiro
  14. É atraído pelo perigo, dramas, intrigas, desafios, evitam relações equilibradas e confiáveis
  15. Disposta a esperar, agradar cada vez mais, “prestativa”, mostrando-se útil. Há dependência do outro;
  16. Possuem uma auto-estima perigosa, e no fundo acha que não merece ser feliz;
  17. Necessidade extrema de estar num relacionamento, medo de ficar sozinho. Tem medo de ser abandonada, fazendo qualquer coisa para impedir o fim do relacionamento;
  18. É superatenciosa, principalmente com pessoas aparentemente carentes, por não ter recebido um mínimo de atenção, tenta suprir essa necessidade insatisfeita através de outra pessoa;
  19. Está disposta a arcar com mais de 50% da responsabilidade, da culpa e das falhas em qualquer relacionamento.
  20. Como experimentou pouca segurança na infância, tem uma necessidade desesperadora de controlar seus homens e seus relacionamentos;
  21. Esta muito mais em contacto com o sonho de como o relacionamento poderia ser, do que com a realidade da situação.
  22. Tem tendência psicológica, e com frequência, bioquímica a se tornar dependente de drogas, álcool e/ou certos tipos de alimento, principalmente doces.
  23. Ao ser atraída por pessoas com problemas que precisam de solução, ou ao se envolver em situações caóticas, incertas e dolorosas emocionalmente, evita concentrar a responsabilidade em si própria.
  24. Tende a ter momentos de depressão, e tenta preveni-los através da agitação criada por um relacionamento instável.
  25. Não tem atração por pessoas(homens ou mulheres) gentis, estáveis, seguros e que estão interessados nela. Acha que esses homens “agradáveis” são enfadonhos. Gosta dos emocionalmente indisponíveis;
  26. A dificuldade de voltar a relacionar e carregada de traumas que acabam a contaminação nas próximas relações.
  27. Aterroriza a hipótese de ser abandonada por isso fará qualquer coisa para que a relação não termine.
  28. São mulheres que sofrem com o amor excessivo em relação a maridos, noivos, namorados, filhos, amigos… A baixa auto-estima, em alguns casos pode desencadear relações patológicas e doentias.  São relações frustradas inseguras com falta de companheirismo. Mulheres ou homens que não  conseguem por um ponto final numa relação que  já desgastada. Torna-se  “doentio” e  motivo de desespero de muitas pessoas. Mas há ainda outra situação que causa sofrimento, que é quando a relação termina  por iniciativa do outro.

Extraído do livro “Mulheres que Amam Demais”, de Robin Norwood.